Arborização Urbana - Arkous Arquitetura e Construção
15561
page,page-id-15561,page-child,parent-pageid-15556,page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-9.1.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive
 

Arborização Urbana

O que devemos saber antes de plantar uma árvore?

A escolha da espécie a ser plantada na frente da residência é o aspecto mais importante a ser considerado. Para isso é extremamente importante que seja considerado o espaço disponível que se tem na residência, considerando a presença ou ausência de fiação aérea e de outros equipamentos urbanos, largura da calçada e recuo predial. Dependendo desse espaço, a escolha ficará vinculada ao conhecimento do porte da espécie a ser utilizada. Para facilitar, as árvores usadas na arborização de ruas e avenidas foram classificadas em pequeno, médio e grande porte.

Algumas medidas a serem observadas
  • Recuo mínimo da muda em relação ao meio-fio: 0,50m
  • Distâncias mínimas entre árvore e entradas de garagem: 1,00m
  • Vão livre entre a copa das árvores e a rede de baixa tensão: 1,00m
  • Vão livre entre a copa das árvores e a rede de alta tensão: 2,00m
  • Altura máxima das árvores de pequeno porte: 4,00m
  • Altura máxima das árvores de médio porte: 6,00m
  • Distância mínima entre árvores de pequeno porte e placas de sinalização: 5,00m
  • Distância mínima de árvores de médio porte e placas de sinalização: 7,00m
  • Distância mínima das esquinas: 7,00m
Algumas espécies de árvores
Árvores de Pequeno Porte

 

São aquelas cuja altura na fase adulta atinge entre 04 e 05 metros e o raio de copa fica em torno de 02 a 03 metros. São espécies apropriadas para calçadas estreitas (< 2,5m), presença de fiação aérea e ausência de recuo predial.

 

  • Murta, Falsa-murta, Murta de cheiro Murraya exotica
  • Ipê-de-jardim Stenolobium stans
  • Flamboyantzinho, Flamboyant-mirim Caesalpinia pulcherrima
  • Manacá-de-jardim Brunfelsia uniflora
  • Hibisco Hibiscus rosa-sinensis
  • Resedá anão, Extremosa, Julieta Lagerstroemia indica
  • Grevílea anã Grevillea forsterii
  • Cássia-macrantera, manduirana Senna macranthera
  • Rabo-de-cotia Stifftia crysantha
  • Urucum Bixa orelana
  • Espirradeira, Oleandro Nerium oleander
  • Calistemon, Bucha-de-garrafa Callistemon citrinum
  • Algodão-da-praia Hibiscus pernambucencis
  • Chapéu-de-Napoleão Thevetia peruviana
Árvores de Médio Porte

 

São aquelas cuja altura na fase adulta atinge de 05 a 08 metros e o raio de copa varia em torno de 04 a 05 metros. São apropriadas para calçadas largas (> 2,5m), ausência de fiação aérea e presença de recuo predial.

 

  • Aroeira-salsa, Falso-chorão Schinus molle
  • Quaresmeira Tibouchina granulosa
  • Ipê-amarelo-do-cerrado Tabebuia sp
  • Pata-de-vaca, unha-de-vaca Bauhinia sp
  • Astrapéia Dombeya wallichii
  • Cássia imperial, cacho-de-ouro Cassia ferruginea
  • Resedá-gigante, Escumilha african Lagerstroemia speciosa
  • Magnólia amarela Michaelia champaca
  • Eritrina, Suinã, Mulungu Erytrina verna
  • Ligustro, Alfeneiro-do-Japão Ligustrum lucidum
  • Sabão-de-soldado Sapindus saponaria
  • Canelinha Nectandra megapotamica
Árvores de Grande Porte

 

São aquelas cuja altura na fase adulta atinge de 05 a 08 metros e o raio de copa varia em torno de 04 a 05 metros. São apropriadas para calçadas largas (> 2,5m), ausência de fiação aérea e presença de recuo predial.

 

  • Sibipiruna Caesalpinia peltophoroides
  • Jambolão Eugenia jambolona
  • Monguba
  • Castanheira Pachira aquatica
  • Pau-ferro Caesalpinia ferrea
  • Sete-copas
  • Amendoeira Terminalia catappa
  • Flamboyant Delonix regia
  • Alecrim-de-Campinas Holocalix glaziovii
  • Ipê-roxo Tabebuia avellanedae
  • Ipê-amarelo Tabebuia chrysotrica
  • Ipê-branco Tabebuia roseo-alba
  • Cássia-grande, Cássia-rósea Senna grandis
  • Cássia-de-Java Senna javanica
  • Jacarandá-mimoso Jacaranda mimosaefolia
  • Figueiras em geral Ficus sp

As palmeiras em geral também não são apropriadas para uso em calçadas, seja pelo porte, na maioria das vezes grande, e também pela dificuldade de manejo.

No entanto, podem ser utilizadas nos canteiros centrais de avenidas e nas rotatórias, bem como nas áreas livres públicas.